Marcação Tática
Pré-Temporada: Bahia
12 janeiro, 2017
0
,

Nenhum clube da Série B investiu tão alto quanto o Bahia em 2016. Contratou reforços na elite do país, inclusive o técnico Guto Ferreira, que abandonou o projeto na Chapecoense apostando em novos desafios a longo prazo na boa terra. O primeiro degrau não foi fácil e o time correu riscos confirmando apenas na rodada final seu lugar entre os quatro primeiros colocados. De volta à primeira divisão, tem o desafio de todos os outros que sobem: manter-se na elite.

 

Para isso, seguiu investindo. Repatriou Armero, foi em busca de nomes interessantes por empréstimo em times do eixo RJ-SP. Ainda não fechou a porta para novas contratações e a princípio parece ter cacife para investir ainda em algum negócio de ocasião ou caso perceba necessidades após o início da temporada. Dos times que subiram no ano passado, parece o mais capacitado para surpreender entre os melhores do Brasil.

Muito por conta do ótimo treinador. Guto Ferreira é nome que passa segurança. A sua manutenção e a possibilidade de um projeto de médio prazo são animadoras para o Bahia, que conseguiu manter a base do time que foi quarto colocado da Série B. Sem saídas significativas, deve ter um time parecido, embora tenha conseguido reforços para qualificar ainda mais o grupo.

 

bahia_pretemporada

Grupo, alías, é a palavra-chave para acreditar que o Bahia pode fazer uma boa temporada. Além do time-base acima, tem no banco de reservas alguns jogadores interessantes de apoio como Eduardo, Edson, Régis, Edigar Júnio e Zé Rafael. Mas ainda é preciso ficar atento: a dupla de zaga quando jogou em times da Série A esteve longe de convencer e Jean ainda é jovem e tê-lo como única opção para o gol representa risco.

 

TÉCNICO: Guto Ferreira (no comando desde junho de 2016)

CHEGARAM: Wellington Silva (LD – Fluminense); Matheus Reis (LE – São Paulo); Armero (LE – Udinese-ITA); Edson (V, Fluminense); Matheus Sales (V – Palmeiras); Zé Rafael (M – Coritiba); Diego Rosa (M – Montedio-JAP); Allione (M – Palmeiras) e Gustavo (A – Corinthians).

SAÍRAM: Muriel (G – Internacional); Gustavo (Z – Avaí); João Paulo (LE); Moisés (LE – Corinthians); Gustavo Blanco (V – América); Luiz Antônio (V – Flamengo); Allano (M – Estoril-POR); Jeam (A – CSA); Victor Rangel (A – Guarani-SC); Misael (A – Red Bull); Thiago Ribeiro (A – Santos) e Wesley Natã (A – Chapecoense).

A PROMESSA: Geovane Itinga (A – 18 anos). Subiu para o time sub-20 do Bahia no ano passado e logo de cara foi artilheiro e um dos melhores jogadores da Copa São Paulo. Com o grupo inchado, faltaram oportunidades no elenco profissional, o que pode acontecer em 2017 para o jovem que tem muito faro de gol.

FIQUE DE OLHO: Juninho (M – 30 anos). Após rodar por muitos clubes no Brasil, encontrou a maturidade e seu melhor futebol no Bahia. Polivalente e técnico, foi um dos melhores jogadores da última Série B. Ótimo na bola parada, pode ser peça importante para o time na Série A.

EM 2017: Copa do Nordeste (briga pelo título), Campeonato Baiano (briga pelo título), Copa do Brasil (oitavas de final) e Campeonato Brasileiro (briga contra o rebaixamento).

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Atlético-MG, Atlético-PR, Campeonato Brasileiro

Derrota justa do “Rogerbol” no Horto

Nenhum clube da Série B investiu tão alto quanto...

Leia mais
Everton Ribeiro, Flamengo,

Onde encaixar Everton Ribeiro no Fla?

Nenhum clube da Série B investiu tão alto quanto...

Leia mais
atleticoxgodoycruz

Roger potencializa individualidades no Galo

Nenhum clube da Série B investiu tão alto quanto...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta