Marcação Tática
Pré-Temporada: Corinthians
16 janeiro, 2017
0
,

O ano de 2016 foi duro para o Corinthians: o desmanche causado pelo futebol chinês, as dificuldades financeiras para pagar o estádio e os erros da diretoria fizeram o time viver (muito) mais baixos do que altos ao longo da temporada. E a verdade é que 2017 começa com uma expectativa parecida…o que pode ser bom!

 

Se compararmos com o time campeão brasileiro de 2015, é claro que o Corinthians tem um elenco pior. Mas ainda que existam algumas lacunas importantes (na zaga e no ataque, principalmente), é fácil perceber que há no time de Fábio Carille capacidade para jogar mais e melhor. Se a primeira vista é difícil se empolgar com o time, principalmente pelo que (não) jogou no ano passado, observando a fundo o Corinthians não está tão abaixo de quase nenhum time da Série A.

Para isso, porém, precisa voltar a navegar em águas calmas. Depois do período de trocas entre Tite e Mano, com manutenção da linha de trabalho, o Corinthians parece ter perdido o fio da meada e ainda que não tenha mostrado nenhuma convicção na aposta (agora definitiva) no antigo auxiliar de Tite para comandar o time, pode reencontrar o caminho largado no meio de 2016.

 

Em algumas posições, há excesso. Para jogar pelos lados no 4-1-4-1 que deve voltar a ser a base do time, por exemplo, sobram opções. Aliás, o meio-campo, fator fundamental nos tempos do agora técnico da seleção brasileira, segue sendo o ponto forte do time (e pode ficar ainda melhor com a possível chegada de Jádson). No entanto, é preciso extrair o máximo de jogadores como Guilherme, Marquinhos Gabriel, Rodriguinho, Marlone, Camacho e companhia. E também dar espaço a ótimos jovens como Maycon, estranhamente desprezado na última temporada.

 

corinthians_pretemporada

Ainda há lacunas que deixam dúvidas. A zaga é uma delas, embora Pablo pareça ser um bom reforço. A principal delas, porém, está no ataque. É difícil saber qual Jô será o atacante do Corinthians, assim como não dá para apostar em Romero e até mesmo em Kazim, que pode ser boa opção no banco. A possível chegada de Drogba também deixa poucas garantias para a posição.

 

Certo é que se hoje se olha para o elenco do Corinthians com alguns pés atrás, é possível se empolgar com esse time caso Carille consiga extrair de cada um o máximo que pode render e que já rendeu (no Timão ou em outros times). Resta saber se ele terá águas calmas para navegar desta vez.

 

TÉCNICO: Fábio Carille (no comando desde janeiro de 2017)

CHEGARAM: Pablo (Z – Bordeaux-FRA); Gabriel (V – Palmeiras); Fellipe Bastos (V – BaniYas-EAU); Paulo Roberto (V – Sport); Kazim (A – Coritiba); Luidy (A – CRB) e Jô (A – Jiangsu Suning-CHI).

RETORNAM: Moisés (LE – Bahia); Maycon (V – Ponte Preta) e Mendoza (A – New York City-EUA).

SAÍRAM: Douglas (G – Avaí); Rodrigo Sam (Z – Água Santa); Willians (V – Cruzeiro); Alan Mineiro (M – Ferroviária); Gustavo (A – Bahia), Isaac (A – Botafogo-SP) e Rildo (A – Coritiba).

A PROMESSA: Léo Santos (Z – 18 anos). Zagueiro alto mas de toque refinado, Léo Santos é tratado com cuidado pelo Corinthians e com razão. Com passagens pela seleção brasileira sub-17, teve período importante no ano passado para amadurecer e a tendência é que receba mais oportunidades em um setor carente na atual temporada.

(Em 2016 a aposta foi em Marciel, que acabou envolvido em uma bizarra troca com o Cruzeiro e quase não entrou em campo na temporada. Em 2017, volta ao Corinthians com poucas perspectivas)

FIQUE DE OLHO: Rodriguinho (M – 28 anos). Versátil e cada vez mais maduro, Rodriguinho deverá assumir em 2017 o lugar de protagonismo no meio-campo do Corinthians. Sua permanência, batalhada pela diretoria, é importante para a construção de um setor forte pelo técnico Fábio Carille.

EM 2017: Campeonato Paulista (briga pelo título), Copa do Brasil (corre por fora), Campeonato Brasileiro (briga por vaga na Libertadores) e Copa Sul-Americana (briga pelo título).

 

AS APOSTAS DO BLOG EM 2016 (em negrito os acertos): Campeonato Paulista (briga pelo título), Copa Libertadores (briga pelo título), Copa do Brasil (briga pelo título) e Campeonato Brasileiro (briga pelo título).

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Atlético-MG, Atlético-PR, Campeonato Brasileiro

Derrota justa do “Rogerbol” no Horto

O ano de 2016 foi duro para o Corinthians: o desma...

Leia mais
Everton Ribeiro, Flamengo,

Onde encaixar Everton Ribeiro no Fla?

O ano de 2016 foi duro para o Corinthians: o desma...

Leia mais
atleticoxgodoycruz

Roger potencializa individualidades no Galo

O ano de 2016 foi duro para o Corinthians: o desma...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta