Marcação Tática
Pré-Temporada: Flamengo
18 Janeiro, 2017
0
,

O Flamengo fez o que todo clube brasileiro deveria fazer: diminuiu investimentos para colocar a casa em ordem para aos poucos voltar a crescer. Foi auxiliado por suas enormes cotas, é verdade, mas planejou e fez acontecer (ainda que tenha derrapado algumas vezes, no desejo de resultados rápidos). O projeto de Eduardo Bandeira de Mello parece ter chegado à sua última fase: a de voltar a vencer.

 

Ainda que tenha vencido a Copa do Brasil em 2013, o Flamengo não parece tão pronto para disputar de verdade as grandes conquistas. Para 2017 manteve a base do time que fez bom Campeonato Brasileiro e buscou contratações pontuais de ótimo nível. Trauco é aposta interessante, Rômulo chega como titular absoluto e Conca está entre as melhores contratações do país apesar dos 33 anos. Além de todos eles, Zé Ricardo parece cada dia mais maduro e com toda a pré-temporada para trabalhar, deve fazer o time jogar ainda melhor.

 

A principal pergunta que fica é: como encaixar Diego e Conca no mesmo time? Não é simples, mas também não é tão difícil. Ainda que já não seja um garoto, Conca sempre teve condição física privilegiada e pode demorar um pouco para ficar 100% fisicamente, mas em boas condições pode naturalmente fazer um dos lados no 4-2-3-1, revezando o posicionamento com Diego ao longo do jogo. Preferencialmente o direito, fazendo com que ele puxe a marcação para dentro para trabalhar com a perna esquerda e abra o corredor para a passagem do lateral (talvez seja uma boa ter Rodinei, mais rápido do que Pará). A questão é que do outro lado o Flamengo vai precisar de um ponta mais agudo, um atacante, e o elenco parece não ter nenhum confiável neste momento. Gabriel, Cirino e até Fernandinho (que pode voltar) disputariam a terceira vaga na linha de meias hoje. Apostar em Marcos Guilherme pode ser interessante. Kennedy seria ainda melhor.

 

flamengo_pretemporada

Ainda falta a Zé Ricardo fazer algo que se esperava muito dele e que em 2017, com o Campeonato Estadual e muitos jogos pela frente, pode ser facilitado. Abrir espaço para jovens das categorias de base como Lucas Paquetá, Ronaldo e Léo Duarte. Ou até mesmo para o projeto de craque Vinicius Júnior, destaque do time na Copa São Paulo com apenas 16 anos. O desafio será interessante porque no banco de reservas o Flamengo também terá boas opções como Mancuello, Márcio Araújo, Everton, Ederson, Donatti, entre outros. Mas é preciso mesclar para não fugir das tradições do clube.

 

Outra vantagem, embora o acerto ainda pareça distante, é o retorno do time ao Maracanã. Me nego a acreditar que o Flamengo ainda ficará muito tempo longe do seu principal palco. Jogar no Rio de Janeiro não representa só jogar mais perto da torcida, mas também uma facilidade logística muito importante em uma temporada que promete ser dura.

 

Ganhar os grandes títulos não é simples. Só um vence e o Flamengo certamente não é o único preparado para tal. Mas na última fase do planejamento, é preciso ficar por perto e esperar pois cedo ou tarde as conquistas vão voltar à Gávea.

 

TÉCNICO: Zé Ricardo (no comando desde maio de 2016)

CHEGARAM: Miguel Trauco (LE – Universitário-PER); Rômulo (V – Spartak Moscou-RUS) e Dario Conca (M – Shangai SIPG-CHI).

SAÍRAM: César (G – Ferroviária); Chiquinho (LE – Shonan Bellmare-JAP); Jonas (V – Coritiba); Lucas Mugni (M); Allan Patrick (M – Shaktar Donetsk-UCR); Nixon (A – Red Bull); Douglas Baggio (A – Ceará); Daniel (A – Atlético-GO) e Fernandinho (A – Grêmio).

A PROMESSA: Lucas Paquetá (M – 19 anos). A chegada de Conca vai dificultar ainda mais o aproveitamento do jovem, que será titular da seleção brasileira no Sul-Americano sub-20 com Rogério Micale. É missão de Zé Ricardo dar espaço ao jovem e talentoso meia, que terá temporada importante para amadurecer.

(Em 2016 a aposta foi em Ronaldo, que mesmo após a chegada de Zé Ricardo ao profissional teve poucas chances para jogar. É mais um dos atletas da base que terá mais dificuldade neste ano, com a chegada de Rômulo)

FIQUE DE OLHO: Diego (M – 31 anos). Já readaptado ao futebol brasileiro e agora com a pré-temporada para se colocar no melhor da forma física, a expectativa é que jogue ainda melhor. Tem tudo para estar entre os melhores jogadores do país em 2017.

EM 2017: Primeira Liga (segundo plano), Campeonato Carioca (briga pelo título), Copa Libertadores (briga pelo título), Copa do Brasil (briga pelo título) e Campeonato Brasileiro (briga por título).

 

AS APOSTAS DO BLOG EM 2016 (em negrito os acertos): Liga Sul Minas Rio (briga pelo título), Campeonato Carioca (favorito ao título), Copa do Brasil (briga pelo título) e Campeonato Brasileiro (briga por G-4).

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Lanús, Almirón, 4-3-3

A virada épica do Lanús e a força de Almirón

O Flamengo fez o que todo clube brasileiro deveria...

Leia mais
Atlético-MG, Atlético-PR, Campeonato Brasileiro

Derrota justa do “Rogerbol” no Horto

O Flamengo fez o que todo clube brasileiro deveria...

Leia mais
Everton Ribeiro, Flamengo,

Onde encaixar Everton Ribeiro no Fla?

O Flamengo fez o que todo clube brasileiro deveria...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta