Marcação Tática
Pré-Temporada: Sport
26 janeiro, 2017
0
,

O 2016 do Sport pode ser considerado decepcionante, ainda que o time tenha conseguido se manter na Série A do Campeonato Brasileiro. As contratações do início da temporada, com boa prospecção na América do Sul passaram longe de funcionar e o time sofreu ao longo de toda a temporada. Escolhas erradas, resultados ruins e um fim de ano melancólico.

 

Na nova temporada, a ideia é de manutenção. No elenco, esforços da diretoria para segurar Rithely, que esteve na mira de Corinthians e Atlético-MG. No banco de reservas, a chance (agora para valer) para Daniel Paulista, interino que assume de forma efetiva após uma boa reta final de Brasileiro. Com praticamente o mesmo time, as perspectivas podem ser boas, embora o mercado desta vez tenha sido menos animador.

 

Dos poucos reforços confirmados, só Leandro Pereira chega para ser titular. Marquinhos pode ser alternativa tanto por dentro quanto pela direita na linha de meias. André, caso volte do Sporting-POR, certamente tomará lugar entre os 11. Mas era preciso mais. Principalmente alternativas para o sistema defensivo, com a indicação de um substituto a médio prazo para os veteranos Magrão e Durval. Hoje não há.

 

sport_pretemporada

Além da permanência de Rithely, importante destacar também Diego Souza. Um dos melhores jogadores do país nos últimos dois anos vestindo a camisa do Leão, parece ter se encontrado definitivamente no Nordeste e por fazer várias funções será muito importante no trabalho de Daniel Paulista. O Sport tem um time interessante, embora possa faltar material humano para uma temporada mais longa e dura como esta.

 

Se o 2016 pode ser considerado frustrante, o que vem pela frente parece promissor. O Sport vai se estruturando financeiramente para cada vez mais competir em nível de igualdade com os times do “eixo”. A missão não é simples, mas é possível com bom trabalho.

 

TÉCNICO:  Daniel Paulista (no comando desde outubro de 2016)

CHEGARAM: Raul Prata (LD – Botafogo-SP); Marquinhos (M – Internacional); Leandro Pereira (A – Palmeiras) e Paulo Henrique (Estoril-POR) .

SAÍRAM: Luiz Carlos (G – Tubarão); Apodi (LD – Kuban-RUS); Luiz Gustavo (Z); Henrique Matos (Z – Joinville); Serginho (V – Al Wasl-EAU); Paulo Roberto (V – Corinthians); Gabriel Xavier (M – Vitória); Vinicius Araújo (A – Valência-ESP); Luiz Ruiz (A – Atlético Nacional-COL); Edmilson (A – Santo André) e Túlio de Melo (A – Chapecoense).

A PROMESSA: Adryelson (Z – 18 anos). Alto, forte e ótimo no jogo aéreo. O jovem zagueiro, um dos mais importantes do time sub-20 na última temporada, tem passagens pela seleção de base e pode ganhar chance em 2017 em setor carente, onde o clube precisa pensar a longo prazo.

(Em 2016 a aposta foi em Everton Felipe, uma das revelações do Campeonato Brasileiro e que deve ser peça fundamental no time em 2017.)

FIQUE DE OLHO: Diego Souza (M – 31 anos). Achou o seu lugar no Nordeste. Pode ser o organizador que vem de trás, o meia que pisa na área ou até mesmo o centroavante. É o principal jogador do Sport e deve, de novo, estar entre os melhores do país.

EM 2017: Copa do Nordeste (briga pelo título), Campeonato Pernambucano (favorito ao título), Sul-Americana (oitavas de final), Copa do Brasil (oitavas de final) e Campeonato Brasileiro (meio da tabela).

 

AS APOSTAS DO BLOG EM 2016 (em negrito os acertos): Campeonato Pernambucano (favorito ao título), Copa do Nordeste (briga pelo título), Copa do Brasil (quartas de final) e Campeonato Brasileiro (meio de tabela).

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Atlético-MG, Atlético-PR, Campeonato Brasileiro

Derrota justa do “Rogerbol” no Horto

O 2016 do Sport pode ser considerado decepcionante...

Leia mais
Everton Ribeiro, Flamengo,

Onde encaixar Everton Ribeiro no Fla?

O 2016 do Sport pode ser considerado decepcionante...

Leia mais
atleticoxgodoycruz

Roger potencializa individualidades no Galo

O 2016 do Sport pode ser considerado decepcionante...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta