Opinião
Atlético precisa usar o elenco que tem
29 Maio, 2017
0
, , ,

Uma sucessão de erros de Roger Machado na manhã deste domingo fizeram um Atlético-MG que jogava bem mas não vencia andar para trás. Contra a Ponte, jogou mal e também não venceu. Ainda que após o jogo o treinador tenha mostrado irritação com o desempenho e a percepção que alguns jogadores precisam jogar mais sem a bola (Robinho, Fred e Cazares, principalmente), faltou ao comandante admitir que a parte física é fundamental para que o time possa render ao máximo.

 

Roger Machado, Atlético-MG,

Bruno Cantini/Atlético-MG

Diante de um sol escaldante, Roger preferiu manter o mesmo time dos últimos jogos. Nenhuma alteração para refrescar peças. O Atlético que já tinha corrido atrás do prejuízo no domingo anterior contra o Fluminense e que também ficou atrás do Paraná na quarta não precisava de mudanças para jogar melhor. Mas talvez fosse importante para que tivesse condição melhor para competir.

 

No primeiro tempo o Galo foi superior. Teve o controle total de uma partida disputada a 40 km/h. Dominou mas não imprimiu a intensidade de outras partidas, tanto é que finalizou apenas duas vezes em 45 minutos. Não apertava para roubar a bola no campo de ataque e era lento na tomada de decisão no campo ofensivo, permitindo à Ponte se manter sempre organizada. Fez o gol na única jogada que conseguiu acelerar: contra-ataque de manual com Marcos Rocha achando Robinho livre.

 

Mas no segundo tempo o adversário acelerou. Kleina trocou o posicionamento de Lins e Lucca e o time voltou a 120 km/h. Quando o Atlético assustou, já tinha sido ultrapassado pelo adversário com dois gols praticamente iguais. Daí em diante, faltou muito ao time de Roger: pernas e ideias. Desgastado física e mentalmente após os tropeços recentes, errou lances bobos. E as mudanças pouco contribuíram. O treinador abriu mão do meio-campo num 4-2-4 que só fez consagrar Aranha e os zagueiros da Ponte (apesar da falha grotesca de posicionamento no gol de Rafael Moura, quando Kleina já tinha colocado um terceiro zagueiro em campo para melhorar a bola aérea defensiva).

 

No fim, só não perdeu porque Nino Paraíba tomou a decisão errada quando entrou livre mas sem ângulo na área. O empate péssimo para a tabela, desta vez deve ser comemorado pelo desempenho pobre.

 

Fábio Santos fez sua pior partida pelo Atlético. Rafael Carioca errou passes fáceis que não está acostumado a fazer. Adilson não teve condição de competir nos dois gols da Ponte. Não adianta falar semana após semana que o Atlético tem um bom elenco se o treinador não está disposto a usar. Quarta o Galo tem uma decisão contra o Paraná e dias depois será importante pontuar em jogo duro fora de casa contra o Palmeiras.

 

É hora de reagir com desempenho e resultados. É hora de usar o elenco que tem.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

O “jeitinho brasileiro” do Grêmio é jogo sujo

Uma sucessão de erros de Roger Machado na manhã ...

Leia mais

Benedetto e a dura realidade do esporte

Uma sucessão de erros de Roger Machado na manhã ...

Leia mais

Campeonato Brasileiro no mundo da Lua

Uma sucessão de erros de Roger Machado na manhã ...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta