Opinião
Atlético vence o Cruzeiro outra vez
3 julho, 2017
0
, , , ,

Foi um bom jogo de mais de 90 minutos no Independência. Para a infelicidade do Cruzeiro, que só jogou em 25 deles. No fim, mais uma justa vitória do Atlético-MG no clássico, que dá tranquilidade para o time no momento mais importante da temporada. Como já dissemos por aqui: ainda que o desempenho geral seja abaixo do esperado, o time de Roger Machado sempre deu respostas quando foi necessário.

 

Roger Machado, Mano Menezes, Cruzeiro, Atlético, Atlético-MG

Reprodução/Premiere

Diferentemente do rival, que só venceu duas nas últimas 10 partidas e seis nos últimos 20 jogos. Mano Menezes e o Cruzeiro não conseguem aliar bom desempenho e resultados. Principalmente porque o bom desempenho raramente dura o jogo inteiro. O time que começou amassando o rival mesmo jogando fora de casa, marcou um gol e poderia ter marcado outros dois, aos poucos foi se esfarelando. Deixou de ter intensidade na retomada da bola, com Romero recuando para cada vez mais perto dos zagueiros. E não conseguia colocar Alisson em situação de um contra um diante de Alex Silva com a mesma facilidade. Mesmo com a mudança de posicionamento feita pelo técnico para tentar recuperar o controle com Robinho por dentro, o panorama não mudou mais até o fim do jogo.

Deu campo e o Atlético que tinha muita dificuldade pra jogar, se aproveitou. Com Yago saindo mais pela esquerda, se aproximando de Fábio Santos e Robinho e melhorando a saída de jogo. Aos poucos, o Galo colocou Cazares na partida e o jogo passou a funcionar. Elias foi fundamental com e sem a bola. Virou ainda no primeiro tempo, com dois gols nos acréscimos. Antes, Daronco teve que parar o jogo para conversar com os capitães para acalmar os ânimos que estavam quentes. Fez grande arbitragem o gaúcho (embora tenha deixado de marcar pênalti em toque de Diogo Barbosa), sem aparecer mais do que o jogo, controlando bem as faltas e os cartões.

 

No segundo tempo, o Atlético foi quem deu campo para o adversário. Mas diferentemente do que fez o adversário quando tinha a vantagem, esteve sempre controlando os espaços e a bola. Teve paciência e não correu riscos até definir o jogo em cruzamento perfeito de Cazares para Fred. Parecia mais próximo de ampliar do que de levar um gol quando a energia do Horto se foi e do jogo também, retomado dez minutos depois em ritmo de treino.

 

Vitória justa de um Atlético que jogou mais e por mais tempo. Roger segue achando caminhos, ainda que a estrada seja tortuosa. Aos poucos, o time parece engatar no Campeonato Brasileiro e assim ganha força também para as outras competições.

 

Do outro lado, nada de tranquilidade. Não há consistência no trabalho. Mais uma vez, quando precisou responder o Cruzeiro não conseguiu.

1

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Micale caiu no Horto

Leia mais

Botafogo chegou ao limite, Grêmio pode chegar mais longe

Leia mais

VAR no Brasil: problema não é quando, é como

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta