Opinião
Bahia perde e precisa alternar ritmo
19 janeiro, 2018
0
, ,

A reestreia de Guto Ferreira no comando do Bahia foi com derrota em casa e vaias da torcida. Injusto. O resultado e a reação. Mas no futebol isso pouco importa e o time vai precisar se recuperar rapidamente para tentar defender o título da Copa do Nordeste.

 

Bahia, Botafogo-PB, Copa do Nordeste

Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

O gol no início marcado pelo Botafogo-PB após falha na saída de Tiago e chute de Allan Dias dificultou ainda mais para um time que (como os outros da Série A) ainda está no início de trabalho. Os primeiros minutos do Bahia foram de erros técnicos graves e muita afobação. Natural pela falta de ritmo e por ainda estar no início da preparação para a temporada. O pênalti muito mal batido e perdido por Edigar Júnio também dificultou ainda mais o trabalho, quando o time dava os primeiros sinais de que iria se encontrar no jogo.

 

O time fluiu melhor quando usou o lado direito. João Pedro deixou ótima impressão na estreia, com desenvoltura para chegar à linha de fundo. E Zé Rafael foi o melhor jogador em campo, articulando bem e abrindo o corredor para as ultrapassagens do lateral. Quando Elton entrou e melhorou a saída de bola o time conseguiu controlar e pressionar. Merecia pelo menos um empate, mas esbarrou nas muitas chances perdidas. Élber não funcionou bem do lado esquerdo. A ideia de ter um ponteiro jogando do lado invertido para cortar pra dentro e finalizar é boa. Mas precisa de um jogador com características de boa finalização pra funcionar. Élber é melhor para abrir o campo e dar velocidade pelo lado direito.

 

O problema principal é que o Bahia, como outros times de Guto, não conseguiu alternar o ritmo. Acelera o tempo inteiro. As vezes é preciso respirar, principalmente quando a temporada está no início. Mais ainda se você está em desvantagem, jogando em casa, diante de um adversário fechado.

 

Uma boa lição já no primeiro jogo, ainda que seja cedo para avaliar e se desesperar. O Bahia montou um time forte e que tende a crescer bastante de produção. Mas Guto vai precisar alternar mais o ritmo para conseguir fazer o time atingir todo o seu potencial.

0

About author

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

2018, mais um ano em que trocar de técnico não valeu a pena no Brasil

A reestreia de Guto Ferreira no comando do Bahia f...

Leia mais

Flamengo precisa parar de tratar toda derrota como fracasso

A reestreia de Guto Ferreira no comando do Bahia f...

Leia mais

Segue o looping da reciprocidade negativa em Minas

A reestreia de Guto Ferreira no comando do Bahia f...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta