Opinião
Botafogo, um time reconhecível
7 julho, 2017
0
, , , , , ,

Quantas vezes já imaginamos que a vida do Botafogo na Copa Libertadores de 2017 estaria perto do fim? Ou antes disso, que o time ia fraquejar no Campeonato Brasileiro do ano passado e perder uma vaga que parecia encaminhada? A resposta da maioria das pessoas certamente será parecida: várias. Mas lá está o time de Jair Ventura, conquistando mais um resultado importante e ficando mais perto das quartas de final da competição continental.

 

Méritos para um clube que soube se organizar e que fez apostas certeiras. Principalmente no treinador. O jovem Jair Ventura assumiu o time em um momento complicado e rapidamente implantou o seu DNA. Nunca foi uma equipe encantadora, e nem havia de ser com o orçamento apertado que tem a disposição. Mas sempre foi um time que reconheceu suas limitações e que soube o que queria. E sempre queria muito.

 

Botafogo, Nacional-URU, Libertadores

Reuters/Andres Stapff

Fora de casa, contra o tradicional Nacional do Uruguai, mais uma vez foi valente e maduro. Colocou o coletivo à frente do individual. Se defendeu bem, soube sofrer e contou com a sorte. Na inacreditável bola na trave no início do jogo que poderia mudar os rumos da partida e no claríssimo pênalti de Victor Luis que a arbitragem resolveu ignorar. Mas fez o gol com o João Paulo e depois disso se defendeu como nunca. Ou como sempre. Exigindo pouco do ótimo Gatito e garantindo um grande resultado mais uma vez.

Ontem o amigo Thiago Rabelo perguntava no Twitter se as pessoas gostariam que algum destes jogadores estivessem no seu time. Eu respondi que sempre gostei de João Paulo, pouco aproveitado no Inter mas de ótima passagem pelo Santa Cruz. Mas de fato, se pararmos para pensar, além de ótimos jogadores formados na base como Emerson, Igor Rabello e Matheus Fernandes, o que há no elenco são jogadores rodados ou ignorados por grandes clubes. Como Victor Luis que não serviu para um Palmeiras que hoje vai ao mercado em busca de lateral esquerdo. Ou Bruno Silva, a personificação de quanto o conjunto pode fazer bem a um jogador.

 

O Botafogo pode não ser o melhor time do Brasil. E não é. Mas é o mais reconhecível deles. Você sabe o que esperar. E parece poder esperar cada vez mais.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Campeonato Brasileiro no mundo da Lua

Quantas vezes já imaginamos que a vida do Botafog...

Leia mais

Jô é a história do Corinthians campeão

Quantas vezes já imaginamos que a vida do Botafog...

Leia mais

Brasil, “país do futebol”?

Quantas vezes já imaginamos que a vida do Botafog...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta