Opinião
Brasil, oásis da lateral esquerda
30 Janeiro, 2017
0
, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A semana foi de ótimas notícias para Tite, ou para quem busca um lateral esquerdo para a seleção brasileira. Posição carente no mundo, sobra no país, com nomes em diferentes estágios de maturação, mas todos com muita qualidade.

 

camisa6selecao Na última quarta-feira, Fábio Santos (31) foi o titular da “seleção B”, formada apenas por jogadores que atuam no Brasil. Já havia sido convocado outra vez para a principal como alternativa. É experiente, tem atuado com grande regularidade no Atlético-MG e jogaria naturalmente em muitos times médios da Europa. Não deve fazer grandes planos para a seleção pela idade avançada, mas é uma alternativa imediata muito confiável.

 

Seu reserva nesta semana, foi Jorge (20). O ótimo e jovem lateral deixou o Flamengo no dia seguinte para atuar no Mônaco, que não só tem números impressionantes na temporada como tem apostado muito bem em jogadores mais novos. Chega à França em condições de brigar pela titularidade e deve evoluir ainda mais em 2017.

 

Ontem, foi a vez de brilhar a estrela de Alex Sandro (26). O lateral da Juventus foi peça importante na vitória da líder do Campeonato Italiano sobre o Sassuolo, fora de casa, fazendo ultrapassagem e dando o passe para o primeiro gol, marcado por Higuaín. Com a “Velha Senhora” atuando novamente com uma linha de quatro na defesa, tem crescido de produção e certamente está no radar de Tite.

 

Isto, claro, sem falar dos atuais “donos” da camisa 6 da seleção principal. Marcelo (28) é o melhor do mundo da posição e parece viver o melhor momento da carreira. Não é de hoje, inclusive. Filipe Luis (31) também tem atuado com enorme regularidade no Atlético de Madrid.

 

Mas as opções não param por aí. Pelo contrário.

 

No Brasil, há ainda Zeca (22). O lateral ambidestro do Santos, campeão olímpico, terá mais um ano importante de maturação e certamente estará em breve brigando por uma vaga na seleção. Guilherme Arana (19) no Corinthians, e Léo Pelé (20) no Fluminense, são jogadores mais jovens que também podem evoluir e chegar rapidamente ao nível do santista.

 

Longe daqui, sobram outras opções. Wendell (23), é titular do Bayer Leverkusen. Douglas Santos (22), outro campeão olímpico, também joga na Alemanha e é o dono da posição, mas no Hamburgo. Alex Telles (24), recuperou o bom futebol no Porto após passagem apagada na Inter de Milão, e não deve demorar para despontar novamente como uma ótima opção para o setor.

 

Para quem gostava de encher a boca para dizer que o Brasil não forma bons jogadores e que a safra é ruim, é bom olhar mais para a esquerda e perceber que as coisas não são bem assim.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Campeonato Brasileiro no mundo da Lua

A semana foi de ótimas notícias para Tite, ou pa...

Leia mais

Jô é a história do Corinthians campeão

A semana foi de ótimas notícias para Tite, ou pa...

Leia mais

Brasil, “país do futebol”?

A semana foi de ótimas notícias para Tite, ou pa...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta