Opinião
Grêmio sai na frente em final dura
23 novembro, 2017
0
, , , ,

Não existe vantagem mínima em final de Libertadores. Existe vantagem. E a que o Grêmio conseguiu em casa, no jogo de ida da decisão contra o Lanús é considerável. Poderá jogar pelo empate na Argentina, onde o jogo promete ser ainda mais duro do que o desta quarta-feira em Porto Alegre, que teve tempos distintos.

 

Grêmio, Libertadores, Lanús, Cícero, Jael

Lucas Uebel/Grêmio

No primeiro, os visitantes conseguiram impor seu jogo, principalmente após os 10 minutos iniciais. O Lanús fez questão de ficar com a bola no pé e esfriar o jogo com uma posse de bola que parece improdutiva mas que abre espaços aos poucos na defesa adversária. O Grêmio tentou subir a marcação e obrigar o adversário a errar e até retomou algumas bolas no campo de ataque, mas a rigor deu muito tempo e espaço para um time muito bem treinado pensar. Poderia ter saído derrotado não fosse mais uma milagrosa defesa de Marcelo Grohe. Perdeu “apenas” Kanemman para o jogo da volta em inexplicável cartão amarelo (compensado depois pela não expulsão de Geromel).

Na etapa final, Renato Gaúcho fez ajustes na marcação. O Grêmio aproximou seus jogadores dos adversários. Encurtou os espaços e os erros técnicos de um time bem treinado mas limitado começaram a aparecer mais facilmente. O Lanús já não conseguia ficar com a bola e sequer passava do meio-campo, ainda que seguisse muito organizado na defesa. Faltou aos gaúchos uma alternativa para encontrar Luan, encaixotado entre as linhas aproximadas da equipe de Almirón. O camisa 7 ficou fora do jogo e precisava (ou poderia) se movimentar mais para abrir espaço para os companheiros. Sem conseguir chegar pelo chão, Renato usou o banco para ganhar altura: Jael e Cícero entraram e participaram do gol da vitória, marcado pelo “volante”. No fim, ainda poderia ter saído o segundo em pênalti claro no centroavante não marcado pela arbitragem confusa de Julio Bascuñan que ignorou não só a falta como a presença do árbitro de vídeo.

 

A tensão após o apito final só aumenta a temperatura para o jogo da próxima semana. A vantagem do Grêmio é considerável, já que na Argentina o Lanús terá que sair mais e expor sua defesa lenta. Na semifinal, o River Plate “matou o jogo” no primeiro tempo mas se desconcentrou cedo demais. Evitar pilhas desnecessárias manter a concentração alta e, principalmente, jogar bola na Fortaleza. Isto será fundamental para que o time possa ficar com o título. O primeiro passo foi dado. O mais duro, será na semana que vem.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Único vexame do Flamengo foi fora do campo

Não existe vantagem mínima em final de Libertado...

Leia mais

Grêmio e a superação na final do Mundial

Não existe vantagem mínima em final de Libertado...

Leia mais

Brasileirão de Aspirantes é necessário

Não existe vantagem mínima em final de Libertado...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta