Opinião
Jô é a história do Corinthians campeão
16 novembro, 2017
0
, , ,

Dois gols em três minutos contra o Fluminense em Itaquera deram a Jô a artilharia (ainda provisória) e ao Corinthians o título do Campeonato Brasileiro. A coração perfeita para uma competição onde venceu quem viveu crise por menos tempo. Desacreditado, o time de Fábio Carille abriu larga vantagem com um primeiro turno impecável e soube administrar os momentos mais difíceis na reta final antes do sprint decisivo. Incontestável.

 

Jô, Corinthians, Campeonato Brasileiro, Campeão

Marcos Ribolli

O Corinthians campeão brasileiro de 2017 é um time cheio de histórias. A começar pelo treinador, que teve passagem curta no comando ano passado e que foi alçado em definitivo ao cargo após as principais opções da diretoria não funcionarem. Passando pelo goleiro Cássio, que perdeu a posição no ano passado, mas reassumiu o posto de titular e ainda deve jogar a Copa do Mundo em 2018. Por zagueiros antes contestados. Por jovens como Guilherme Arana e Maicon que se firmaram de vez no time. Ou por Rodriguinho, finalmente protagonista.

Mas o principal nome é Jô. Que foi justamente liberado pelo Atlético-MG em 2015 e teve passagem patética pelo futebol chinês. Mas que percebeu que era preciso colocar a cabeça no lugar e agir como um jogador profissional para voltar a brilhar. Fez muito mais que gols no Campeonato Brasileiro. Foi liderança positiva e fundamental no desempenho ofensivo com movimentação e construção.

 

Jô é o melhor jogador do Campeonato Brasileiro. É a prova de que é possível mudar, readaptar, crescer. É o Corinthians. Justo campeão nacional mais uma vez.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Único vexame do Flamengo foi fora do campo

Dois gols em três minutos contra o Fluminense em ...

Leia mais

Grêmio e a superação na final do Mundial

Dois gols em três minutos contra o Fluminense em ...

Leia mais

Brasileirão de Aspirantes é necessário

Dois gols em três minutos contra o Fluminense em ...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta