Opinião
Jogo de manual aproxima Grêmio da decisão
26 outubro, 2017
0
, , ,

É impossível relativizar a vitória do Grêmio por 3 a 0 no Equador na noite de ontem diante do Barcelona. A maior vantagem já conquistada por um visitante na semifinal em toda a história da Libertadores. Um feito e tanto que deixou muitíssimo bem encaminhada a classificação para a decisão. Só uma tragédia inimaginável fará o time de Renato Gaúcho perder a vaga.

 

Grêmio, Luan, Libertadores,

Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Foram muitos os méritos no Equador. A começar pela imposição técnica e tática no início do jogo, assumindo as rédeas e abrindo o placar cedo em ótima jogada de Cortês para a finalização de Luan após o vacilo da zaga. Renato Gaúcho usou os laterais como trunfos para chegar à linha de fundo e achar seu principal jogador muito bem posicionado. Foi assim também o terceiro gol, após jogada do lado oposto. Entre eles, Edilson cobrou falta com inteligência para ampliar ainda na etapa inicial.

É preciso falar sobre Luan, decisivo mais uma vez. Voltou ao time em grande estilo. É o “rei da entrelinha”. Impressionante como faz boa leitura dos espaços e sabe se posicionar como poucos. Na construção das jogadas está sempre disponível para receber a bola quebrando as linhas adversárias. No terço final, aparece quase sempre com liberdade para receber e finalizar. Dita o ritmo e transforma o Grêmio. Ontem, foi decisivo mais uma vez marcando dois gols.

 

É verdade que entre o segundo e o terceiro gol o time do Grêmio teve dificuldades. Naturais diante do peso do jogo e a vantagem conquistada na casa do adversário. Recuou demais as linhas e parou de sair jogando com a bola no chão. Sofreu pouco, exceção feita à magnífica defesa de Marcelo Grohe em chute a queima roupa de Ariel. Mas após o terceiro gol, deu uma aula de comportamento e atitude. Toques curtos, controle dos espaços e domínio total. Uma vitória justa e indiscutível.

 

O Grêmio de Renato Gaúcho não fez seu melhor jogo do ano. Mas voltar a jogar bem na reta final da temporada é um alento para um time que desconcentrou-se tanto no Campeonato Brasileiro que claramente perdeu rendimento. É possível jogar bem como antes nos últimos jogos da Libertadores. E necessário para ficar com o título. O primeiro passo foi dado ontem. E foi um enorme passo. Um jogo de manual.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Campeonato Brasileiro no mundo da Lua

É impossível relativizar a vitória do Grêmio p...

Leia mais

Jô é a história do Corinthians campeão

É impossível relativizar a vitória do Grêmio p...

Leia mais

Brasil, “país do futebol”?

É impossível relativizar a vitória do Grêmio p...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta