Opinião
Mano Menezes e o jogo dos sete erros
8 junho, 2017
2
, , ,

Antes de falar dos muitos erros do Cruzeiro é preciso dizer: o Bahia não fez o melhor dos seus jogos para quebrar um jejum de 23 anos sem vencer os mineiros em Salvador. Correu mais riscos quando decidiu não correr riscos. Levou em banho maria um jogo que poderia ter sido mais fácil. Mas não foi.

 

Bahia, Cruzeiro, Campeonato Brasileiro, Mano,

Betto Jr/Light Press/Cruzeiro

E poderia ser fácil porque Mano Menezes errou do início ao fim na Bahia.

1 – A começar pela escalação. O técnico do Cruzeiro não confiou no jovem Murilo e mexeu na estrutura do time. Improvisou Henrique, que escancarou o erro com muita dificuldade no posicionamento. No primeiro erro, o lance foi anulado porque houve toque de Zé Rafael. No segundo, expulsão cedo após falta clara na entrada da área.

 

2 – Muitos dos erros da linha defensiva, vieram dos erros do meio. Inexplicavelmente Hudson ficou fora do time titular. Romero tem velocidade mas não tem posicionamento. Faltava alguém à frente da área para proteger uma defesa claramente insegura.

 

3 – Com um a menos após a expulsão de Henrique, Mano decidiu ainda assim não colocar Murilo. Recuou Cabral e fez um convite para o Bahia. Minutos depois, o gol de Edigar Júnio, o melhor em campo, com muita facilidade para antecipar o argentino.

 

4 – Com 31 minutos de atraso, entrou Murilo. Imagine a cabeça de um garoto, que certamente percebeu que não havia confiança nele. Com o Bahia na frente e a vaca no brejo, entrou bem e jogou com firmeza. Deixando ainda mais claro o erro inicial.

 

5 – Na troca, Mano tirou Ábila e matou qualquer chance para que seu time conseguisse prender a bola na frente. Com um a menos, é importante fechar as linhas e se defender bem. Mais ainda ter alguém para desafogar o sistema defensivo segurando a bola.

 

6 – Rafael Marques, titular no último jogo, não foi acionado em momento algum. Poderia ser o atacante de mobilidade que procuraria o espaço vazio para prender a bola na frente para corrigir o erro da saída de Ábila. Mas viu os 90 minutos do banco. Não será surpresa se voltar titular na próxima rodada.

 

7 – Élber entrou para dar velocidade e um pouco mais de jogo pela direita. Fez uma das melhores jogadas do time no segundo tempo em sua primeira participação. Minutos depois, com a entrada de Rafinha, foi deslocado para jogar mais adiantado, entre os zagueiros, e não foi mais visto em campo.

 

Não é o primeiro jogo com muitos erros do técnico do Cruzeiro. Foi sem dúvidas o que teve mais falhas. Do início ao fim, Mano foi responsável pela derrota na Bahia. A entrega é pequena tendo em vista o elenco que tem à disposição. Me parece que o histórico do clube, os desejos da diretoria e dos jogadores não batem com a forma como o comandante planeja vencer. Me lembra muito uma tal passagem pelo Flamengo, que todos sabem como terminou.

1

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Micale caiu no Horto

Antes de falar dos muitos erros do Cruzeiro é pre...

Leia mais

Botafogo chegou ao limite, Grêmio pode chegar mais longe

Antes de falar dos muitos erros do Cruzeiro é pre...

Leia mais

VAR no Brasil: problema não é quando, é como

Antes de falar dos muitos erros do Cruzeiro é pre...

Leia mais

2 comentários

  • Leandro Inácio disse:

    O Mano é muito ruim das ideias cara, parece treinador novato. Errar uma partida inteira seria ruim se fosse a primeira vez, mas já errou várias esse ano. Está horrível essa passagem dele.

  • Deixe uma resposta