Opinião
No jogo da pressão, pior para Ceni
14 Maio, 2017
0
, , , ,

Foi um jogo ruim no Mineirão, à altura do que Cruzeiro e São Paulo vinham demonstrando nas últimas semanas, quando acumularam decepções. A pressão era grande para Mano Menezes e Rogério Ceni, que fizeram mudanças nas equipes mas não conseguiram melhorar tanto o rendimento. Duas equipes com cuidado extra pois uma derrota poderia ser fatal.

 

Rubens Chiri / saopaulofc.net

Mano apostou nas voltas de Fábio e Dedé em um time muito desfalcado. Difícil cobrar rendimento, mas é possível ter ideias melhores. O 4-2-3-1 seguiu com problemas de construção, com muitos cruzamentos para Ábila perder a disputa com Maicon. Sem a bola, pouca decisão: ainda que em alguns momentos adiantasse as linhas, importunava pouco o portador da bola e permitia que o adversário tivesse a bola.

 

No São Paulo, Rogério Ceni apostou em três zagueiros com as entradas de Militão e Marcinho. Sentiu falta de Cueva, que segue jogando muito mal, para conseguir ter mais volume ofensivo ainda que tenha tido duas boas oportunidades com Júnior Tavares e Cueva. Além disso, mostrou insegurança na saída de bola, se atrapalhando principalmente com Rodrigo Caio que vem atuando muito mal.

 

Depois de um primeiro tempo equilibrado e de poucas ideias, o Cruzeiro acelerou no início da etapa final. Marcou cedo com Ábila, que já tinha perdido chance clara no primeiro tempo. Mas depois disso, desacelerou. Recuou as linhas e deu a bola para o São Paulo, que mudou a forma de jogar com a entrada de Thomaz na vaga de um dos zagueiros. No 4-2-3-1, o time de Rogério Ceni ocupou o campo ofensivo mas esbarrou na falta de ideias. Terminou o jogo com 62% de posse e 13 finalizações, mas apenas três certas.

 

O desfalcado Cruzeiro ganha três pontos e uma semana com mais tranquilidade para trabalhar e tentar se recuperar. O resultado já melhorou, mas o desempenho ainda ficou devendo. Com a volta principalmente de Robinho, a expectativa é que possa jogar mais.

 

O preocupante São Paulo, precisa aliar resultado e desempenho. A Rogério Ceni, boas ideias não bastam. A fama como goleiro do tricolor, também não bastará por muito tempo. É preciso mais do que mostrou no Mineirão. No jogo da pressão, ele levou a pior.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

O “jeitinho brasileiro” do Grêmio é jogo sujo

Foi um jogo ruim no Mineirão, à altura do que Cr...

Leia mais

Benedetto e a dura realidade do esporte

Foi um jogo ruim no Mineirão, à altura do que Cr...

Leia mais

Campeonato Brasileiro no mundo da Lua

Foi um jogo ruim no Mineirão, à altura do que Cr...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta