Opinião
O que esperar de Micale no Galo?
21 julho, 2017
0
, , ,

A diretoria do Atlético-MG agiu rápido e foi na lógica do mercado ruim após a demissão de Roger Machado. Confirmou hoje que Rogério Micale, com anos nas categorias de base do clube e campeão olímpico com a seleção brasileira, será o novo comandante a partir da semana que vem. Desafio duro para um time com problemas internos e com competições de alta carga de dificuldade pela frente. Mas uma aposta interessante pensando no futuro.

 

Rogério Micale, Micale, Atlético-MG, Técnico,

Bruno Cantini – Atlético

Rogério Micale é um bom treinador. Mais um da geração de boas novidades do Brasil. Teve passagem com altos e baixos pela base da seleção, mas foi demitido injustamente em um projeto que já vinha sendo abandonado pela CBF. Tem ideias modernas e é muito dedicado aos treinamentos, mas ainda está longe de consolidar seu trabalho entre os profissionais. O perfil é semelhante ao de Roger Machado, um pouco mais tarimbado, demitido na última quinta.

Mas dentro de campo é possível esperar um time bem diferente. E aí entra minha grande preocupação: o modelo de jogo de Micale não se encaixa facilmente ao elenco que o Galo tem à disposição. Quem vai se adaptar ao outro?

 

O novo técnico do Atlético gosta de linhas muito altas, goleiros que jogam com os pés, pressão forte na saída de bola do adversário. Com a bola, intensas trocas de posição e menos troca de passes até finalizar as jogadas. No Galo, vai encontrar um goleiro que vai melhor debaixo das traves que com a bola no pé, uma linha defensiva pesada (principalmente com Leonardo Silva entre os titulares) e atacantes pouco intensos embora muito qualificados.

 

De toda maneira, além da aposta interessante (e arriscada), o Galo contrata um nome que pode ser importante em um processo de renovação obrigatório para 2018. Rejuvenescer o elenco e apostar na base que já deu respostas interessantes nessa temporada com nomes como Bremer, Alex Silva e Yago.

 

A dúvida é: terá respaldo? Ainda que desta vez o técnico chegue com apoio do Gerente de Futebol, André Figueiredo, que trabalhou com ele por anos na base do Atlético, as decisões recentes tem sido mais políticas que esportivas no clube. Daniel Nepomuceno costuma tratar todos os Campeonatos como obrigação de título. E Micale precisará de tempo, paciência e respaldo para comandar a mudança que o time precisa realizar.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

O “jeitinho brasileiro” do Grêmio é jogo sujo

A diretoria do Atlético-MG agiu rápido e foi na ...

Leia mais

Benedetto e a dura realidade do esporte

A diretoria do Atlético-MG agiu rápido e foi na ...

Leia mais

Campeonato Brasileiro no mundo da Lua

A diretoria do Atlético-MG agiu rápido e foi na ...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta