Opinião
Quem liga para a Primeira Liga?
10 fevereiro, 2017
0
, , , , , , ,

A ideia era bater de frente com a CBF e organizar um Campeonato que fosse rentável para os clubes, que levasse público ao estádio e que exigisse testes mais fortes no início da temporada. Naufragou.

 

primeira_liga

Desde o início a Primeira Liga esbarrou em velhos problemas do futebol brasileiro. A falta de união dos clubes, os desejos políticos dos dirigentes, os entraves impostos por CBF e também o fato de serem reféns do dinheiro da TV nos Campeonatos Estaduais. Resultado: a competição minguou.

 

Para 2017, um torneio enfiado goela abaixo. E cheio de bizarrices. A principal delas, que é impossível “esquentar” o interesse em uma competição de no máximo seis jogos para cada time, que começa em janeiro e terminará apenas em outubro. Depois, ainda tem o calendário inchado do país que obriga os times a encavalarem jogos (Joinville e Chapecoense entraram em campo ontem, menos de 48 horas depois de jogarem pelo Campeonato Catarinense).

 

O resultado? Estádios vazios e times reservas. Na quarta, o Fluminense usou time quase todo reserva contra o Internacional. O Grêmio, não enviou nem o técnico Renato Gaúcho para o duelo contra o Flamengo. Ontem, dos quatro times que entraram em campo, só o Atlético-MG usou a força máxima.

 

Desinteresse justo para um campeonato desinteressante. A Primeira Liga só faria sentido se os clubes a preferissem em relação aos Estaduais. Mas não podem, por amarras antigas que ainda estão por aí.

 

Preferiram não dar o braço a torcer e seguir jogando a Copa Ninguém Liga.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Botafogo chegou ao limite, Grêmio pode chegar mais longe

A ideia era bater de frente com a CBF e organizar ...

Leia mais

VAR no Brasil: problema não é quando, é como

A ideia era bater de frente com a CBF e organizar ...

Leia mais

Galo dá passo importante em direção ao futuro

A ideia era bater de frente com a CBF e organizar ...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta