Opinião
Roger precisa reinventar Atlético outra vez
22 junho, 2017
0
, , , , ,

Nos momentos mais difíceis da temporada, o técnico Roger Machado conseguiu tirar da cartola algum coelho para fazer o Atlético-MG render mais. Foi assim na fase intermediária do Campeonato Mineiro quando o time não jogava bem e ele fez de Danilo o ponta esquerda que deu equilíbrio ao meio-campo, fazendo a campanha deslanchar. Foi assim na fase final do estadual e no trecho decisivo da Libertadores, quando a entrada de Adilson fez Elias ter mais liberdade e todas as peças renderem mais. É hora de reinventar de novo para o Campeonato Brasileiro.

 

Roger Machado, Atlético-MG, Atlético, Campeonato Brasileiro,

Reprodução – Premiere FC

Contra o Sport, a pior atuação como mandante no campeonato nacional. Só não foi pior do que na derrota para o Vitória em Salvador. O único momento de controle e superioridade, aconteceu entre o gol da equipe baiana e o empate, com Felipe Santana. Antes e depois, o Galo não conseguiu jogar e viu o adversário ficar mais com a bola e ocupar o campo de ataque.

Méritos de Luxemburgo que fez Diego Souza ocupar o espaço do inexperiente Ralph e dar muita dor de cabeça ao volante, amarelado logo no início do jogo. Sem a bola, aperto no setor onde o Galo sofre mais com as ausências, principalmente de Marcos Rocha (mesmo com Alex Silva atuando de forma firme). A válvula de escape e o início das jogadas fica complicado e o Sport não deixou o Atlético jogar em paz.

 

Ainda assim, o Galo virou no ótimo cruzamento de Cazares para Fred e poderia ter encontrado mais tranquilidade para jogar. Não o fez. Ainda que o Sport tenha diminuído o ímpeto no início da etapa final, viu o adversário empatar em pênalti indiscutível de Victor sobre Diego Souza. No fim, pode levantar as mãos para os céus por ter conquistado um ponto em uma noite de atuação tão pobre.

 

Pressionado mais uma vez, Roger precisa fazer como nas outras oportunidades e reagir. Com soluções e mudanças. Fazer o time se compactar melhor defensivamente para não sofrer tantos gols e ataques é importante. Conseguir, como em outros tempos, tirar o melhor de suas peças também. O melhor para Robinho, por exemplo, não é jogar como extremo pela esquerda onde não tem pernas para marcar e nem para puxar os contra-ataques. Ou Roger muda o posicionamento ou muda a peça. É hora de fazer a engrenagem funcionar. Antes que seja tarde demais.

0

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Campeonato Brasileiro no mundo da Lua

Nos momentos mais difíceis da temporada, o técni...

Leia mais

Jô é a história do Corinthians campeão

Nos momentos mais difíceis da temporada, o técni...

Leia mais

Brasil, “país do futebol”?

Nos momentos mais difíceis da temporada, o técni...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta