Opinião
Ser árbitro não é fácil, mas não exagera Márcio Eustáquio
19 julho, 2017
0
, , , , ,

Imagine um lance que passaremos dias discutindo sem uma conclusão definitiva tendo que ser resolvido em milésimos de segundo, sem direito a erro. Não é fácil ser árbitro de futebol. Um jogador erra mais de um passe por jogo. Chuta várias bolas para fora. O técnico demora para mexer no time. O torcedor vaia o cara que vai fazer o gol da vitória no fim. O jornalista erra na análise. Mas o árbitro não tem o direito de errar.

 

Árbitro, Márcio Eustáquio Santiago, Internacional, Pottker, Série B, Luverdense,

Agência Estado

Márcio Eustáquio Santiago é um bom auxiliar. Considerado por muitos entre os melhores do país, tem baixo índice de erros graves. Mas o de ontem vai demorar para ser esquecido. E antes de vir ao caso qual era a melhor decisão a ser tomada na jogada, é claro que a reação do auxiliar na beira do campo induziu jogadores ao erro. Não só os do Luverdense, tendo em vista que Pottker, que acaba marcando o gol, também para na jogada quando vê Márcio dentro do campo com a bandeira levantada e a mão na cabeça. Conseguiu marcar porque estava bastante a frente dos outros adversários.

Ainda que eu respeite profundamente os comentaristas de arbitragem (e para eles é unânime que Igor Júnio Benevenuto acertou ao seguir a jogada), e entenda que eles tem uma capacidade maior que a minha de avaliar lances como o de ontem, sigo pensando que Márcio Eustáquio Santiago estava certo e errou ao refugar da decisão. Pottker estava adiantado e tenta disputar a bola, influenciando na ação dos defensores do Luverdense (que correm para marcá-lo e nem se preocupam com Joanderson, que vem de trás).

 

A regra atual é interpretativa (como a grande maioria) e pode ser lida aqui neste link. Segundo ela, está impedido um jogador que “claramente tenta jogar uma bola que está perto dele, quando essa ação afetar um oponente”. Me parece que foi isso que Pottker fez na jogada. Vendo e revendo, eu sigo achando que o correto era anular o lance por impedimento. Abaixo a jogada que definiu a vitória do Inter nos acréscimos.

 

De toda forma, Márcio Eustáquio Santiago refugou. Atrapalhou os jogadores e o árbitro. E isso muda completamente qualquer análise. Legal ou ilegal, o gol do Internacional teve evidente influência da arbitragem. Erro grave em um lance difícil, que divide opiniões.

 

Não acho fácil a missão de apitar um jogo de futebol. Mas Márcio Eustáquio Santiago fez mais que isto no Beira-Rio: ajudou a decidir a vitória do Colorado sobre o Luverdense. E se fosse o contrário?


0 
						

Sobre o autor

Itens relacionados

/ Você também pode verificar esses itens

Botafogo chegou ao limite, Grêmio pode chegar mais longe

Imagine um lance que passaremos dias discutindo se...

Leia mais

VAR no Brasil: problema não é quando, é como

Imagine um lance que passaremos dias discutindo se...

Leia mais

Galo dá passo importante em direção ao futuro

Imagine um lance que passaremos dias discutindo se...

Leia mais

0 comentários

Deixe uma resposta