Sem categoria
Tempos sombrios no Vasco
8 novembro, 2017
0

Assustador o que aconteceu na noite de ontem, reta final de 2017, na sede do Vasco. Uma eleição conturbada e equilibrada onde no final as duas chapas comemoraram. A justiça deve definir o próximo presidente do clube, entre Eurico Miranda e Julio Brant.

 

Eurico Miranda, Vasco,

André Durão / GloboEsporte.com

Tudo por conta da suspeita de adesão ilegal de sócios com intuito apenas eleitoral. Entre novembro e dezembro de 2015, período final para a inscrição com possibilidade de voto, o Vasco registrou um grande número de pessoas. Curiosamente, embora a eleição tenha apresentado enorme equilíbrio, considerando apenas os sócios “de última hora”, Eurico Miranda teve mais de 90% do votos. Flamenguistas declarados foram flagrados em fotos votando no atual presidente na noite de ontem. Talvez não seja ilegal, mas certamente é imoral.

E é assim que Eurico Miranda pode permanecer mais um mandato à frente do clube. Inegável que sua administração não tem apenas pontos negativos. Incentivou o crescimento do departamento de análise do clube e costuma fazer o possível para seguir linha de trabalho entre os técnicos (ainda que tenha trocado duas vezes o comando nesta temporada). E conseguiu, aos trancos e barrancos, montar um time competitivo que finalmente não corre risco de rebaixamento na Série A.

 

Mas é difícil entender como um clube gigante fica preso ao passado como o Vasco. Eurico Miranda representa o atraso. Representa o “poder a qualquer custo”. Trata um clube enorme como se fosse propriedade privada. Dele e de mais ninguém.

 

Não dá para cravar que Júlio Brant será (ou seria) um presidente melhor. Roberto Dinamite, ídolo máximo do clube, foi uma enorme decepção. Mas é possível ter certeza de que o Vasco precisa olhar para frente. Enxergar e projetar o futuro. Deixar para trás tempos sombrios que não combinam mais com o futebol brasileiro. Voltar a ser do seu povo. Voltar a ser grande.

0

Sobre o autor

0 comentários

Deixe uma resposta